AMOR-EXIGENTE Dezembro/2017 {revistae PRINCÍPIO RECOMPENSADOR

Colaboração: Claudio Nero Lugo

Suplente Regional Porto Alegre/RS

 

12º PRINCÍPIO – O Amor com respeito, sem egoísmo, sem comodismo deve ser também um amor que orienta, educa e exige

 

 

Amar a si mesmo e a outrem é uma encantadora aventura, talvez o único prazer que pode durar eternamente.

Amos que começa comigo. Primeiro em relação a mim, pois ninguém pode dar o que não tem, nem demonstrar com sinceridade o que não sente. A dificuldade de amar-se tem origem na sensação de que não se é digno desse sentimento devido a seus “defeitos” e a alguns “registros de infância”. Duvide que eles sejam totalmente verdade. Amar é fruto do real interesse pelo bem do outro, mesmo que não lhe desperte simpatia. O amor estabelece compromissos. Sua prática implica fidelidade com a verdade. Significa aderir a algo, mesmo tendo que se abrir mão de coisas de que gostamos. Amor significa ir em direção ao objeto amado. O amor liberta a pessoa de si mesmo, haja visto o perdão incondicional de si e do outro.

 

Amar e perdoar o outro por suas falhas não significa tornar-se cúmplice de comportamentos inaceitáveis. Imponha limites! Ame a pessoa, mas combate sem trégua a dependência química e os defeitos de caráter. Aja prontamente! Não espere que surjam condições especiais para começar a agir. Esta hora jamais virá. Decida por você e comece já. Doe-se! Coopere! Melhore a si e o mundo à sua volta. Entusiasme as outras pessoas a praticar o bem. Não se economize. Seja diligente, afaste a preguiça, o egoísmo, a ambição pelo poder, a discriminação, o preconceito, as memórias antigas que lembram mágoas e tristezas. Pense o contrário. Pratique ações que confirmem sua identidade, coerência e solidariedade, que lhe aumentem o autoconceito, a autoconfiança, a alegria e a paz em comunhão com os demais. Assim você será aceito, valorizado e amado pelas outras pessoas. Em todos seus relacionamentos, lembre-se: Amor não faz prisioneiros. Prisão não produz amor. Dê-se a conhecer inteiramente.

Se você ama alguém, deixe-o livre!

Se ele votar, ele é seu e sempre o foi.

Se ele não voltar,é porque nunca foi seu!

 

Quatro regras básicas para gostar de si mesmo e viver em paz:

  • Ser bom para você e para os outros;
  • Viver só o hoje, não ficar no passado nem no futuro distante;
  • Não dar a ninguém o poder de fazê-lo feliz ou infeliz;
  • Ter liberdade em primeiro lugar, servir em segundo. Se você serve para livrar-se do medo, está fadado ao fracasso, à frustração, ao estresse e à infelicidade.

 

 

1ª. SEMANA / Princípio com enfoque EU

. Quando é que eu me sinto amado?

. Para mim o que é um amor verdadeiro?

. Onde vejo o amor do Criador por suas criaturas? Ele nos sugere algum modelo?

 

 

2ª. SEMANA / Princípio com enfoque EU e o OUTRO

. Dar tudo, ceder em tudo, fazer de tudo por um filho pode ser um ato de desamor. Por quê?

. Ao educar os filhos, desde pequenos, não devo agir guiado pelos sinais do amor deles pelos pais. Por quê?

 

 

3ª. SEMANA / Princípio com enfoque EU e a SOCIEDADE

. Por que é importante explicar às pessoas a diferença entre amar e gostar?

. Por que as relações entre pais e filhos não podem seguir o modelo de conectar/desconectar e incluir/excluir pessoas de seus “Grupos da Internet”?

 

 

4ª. SEMANA / Rever nossos princípios ÉTICOS:

Evitar divergências e disputas de poder entre as lideranças dos grupos de Amor-Exigente. Idem nos grupos familiares.

Não dissemine “comentários” sobre outras pessoas. Percebendo inadequações, trate diretamente com o autor, nunca através de terceiros. Controle as tendências à grandeza, ambição, soberba, arrogância, autoritarismo, vaidade, apego. São comportamentos que desunem as famílias e os grupos sociais. Não seja o proprietário único das ideias. Aceite a cooperação, a partilha, o rodízio de função. Delegue o poder!

 

. Como eu trato os que divergem das minhas ideias? Como inimigos?

 

 

ESPIRITUALIDADE

 

Senhor Deus, fonte infinita de amor.

Rogo-lhe com humildade e sincero desejo que me conceda;

Mente aberta e boa vontade para a verdade e o conhecimento;

Sensibilidade para ver as pessoas e aceitá-las como elas são;

Que além de conhecer as pessoas, que elas passem a existir dentro de mim;

Quando eu me dedicar ao trabalho do Amor-Exigente, que o faça com toda força e inteireza do meu espírito.

Quando eu me dedicar ao raciocínio, que o faça com toda a capacidade da minha mente.

Quando eu me dedicar ao amor ao próximo, que o faça com toda força do meu coração, razão e emoção.

 

 

Este encarte especial é parte integrante da REVISTAE, publicação mensal da FEAC – Federação de Amor Exigente

Jornalista Responsável: Patrícia Medeiros (MTB 0066511/SP) / Projeto Gráfico: Biancheti Propaganda

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s